Óleos Carreadores, O que são?

Óleos Carreadores – O que são?

Os óleos são utilizados nas massagens terapêuticas Ayurvédicas, porque facilitam o deslizar das mãos sobre o corpo do paciente, no entanto os óleos naturais por si só são bons para nutrir a pele, no entanto se forem adicionados óleos essenciais o seu poder terapêutico exponencia significativamente.

Na massagem Ayurvédica, são utilizados como óleos carreadores (óleo base), óleos vegetais naturais gordurosos obtidos por prensagem de sementes, nozes e amêndoas, e que não podem ser obtidos pelo processo de destilação.

Os óleos carreadoresna Ayurveda, funcionam como uma base quando utilizados em massagens, e poderão ser adicionados óleos essenciais para fim terapêutico, não só como aromaterapia penetrando, através da pele, na circulação sanguínea para tratar o Ser como um todo:

  • Corpo
  • Mente
  • Emoções
  • e energia

 

A palavra carreador vem da palavra “carregar”, aquele que serve de veículo. Estes óleos, na Medicina Ayurvédica, são considerados veículos para os óleos essenciais penetrarem através da pele.

Os óleos carreadores podem ser refinados ou não-refinados o que pode interferir em muito em suas propriedades terapêuticas. O problema do refino é essencialmente que os óleos perdem uma grande parte, para não dizer a maioria das suas propriedades essenciais e terapêuticas que lhes são inerentes naturalmente.

Na massagem Ayurvédica é essencial optar sempre por um óleo carreador não refinado, seja para as massagens ou até mesmo para a alimentação.

Na massagem ayurvédica, óleos essenciais, podem e devem ser adicionados ao óleo carreador para além de amplificarem as propriedades terapêuticas do óleo de massagem, também dá um aroma característico (aroma terapia) aos óleos vegetais gordurosos é a presença de óleo essencial em sua constituição. Esta fusão de óleo vegetal e óleo essencial, não só relaxa o paciente devido ao seu aroma especial, como também torna todo o processo um ritual de cura e harmonização que inevitavelmente trará profundos benefícios ao paciente.

Cada óleo carreador é constituído por um conjunto de ácidos graxos (gorduras) diferentes. São centenas de tipos de ácidos graxos, sendo que cada qual irá possuir propriedades diferentes e específicas. Existem gorduras sem muita utilidade e outras com potenciais infinitamente grandes e isso faz muita diferença entre um carreador e outro quando são utilizados na massagem, alimentação e terapêutica.

Hoje em dia grande parte dos óleos vegetais comercializados, como o óleo de amêndoas e semente de uva, por exemplo, são óleos completamente montados a partir do óleo de soja.

Entre os carreadores, alguns são mais indicados para determinados tipos de pele conforme sua densidade própria. Os óleos indicados para pele oleosa podem ser empregados em peles secas, porém não se deve fazer o contrário. Evite o uso de óleos carreadores em peles com problema de acne e inflamadas.

Óleos para peles secas:

Óleo de amêndoas
Óleo de rícino
Manteiga de cacau
Manteiga de cupuaçu
Óleo de amendoim
Óleo de abacate
Azeite de oliva
Óleo de castanha do Pará
Óleo de maracujá prensado a quente
Óleos para peles normais:

Óleo de milho
Óleo de gergelim
Óleo de soja
Óleo de apricot
Óleo de jojoba
Óleo de calêndula
Óleo de semente de uva
Óleo de neen
Óleo de maracujá prensado a frio
Óleos para peles oleosas:

Óleo de semente de uva
Óleo de girassol
Óleo de avelã
Óleo de noz
Óleo de prímula
Óleo de germe de trigo
Óleo de babaçu, tucumã, côco da Bahia, palmiste e murumuru
Óleo de canola
Óleo de linhaça
Métodos de extração dos óleos vegetais de massagem

Existem dois métodos de se extrair o óleo carreador de matéria prima:

Pressão a frio: neste processo as sementes são esmagadas por uma prensa causando a drenagem do óleo para fora da mesma.
Extração por solvente: a polpa é saturada com um solvente (geralmente hexano) que dissolve a maior parte do óleo presente na polpa; a massa resultante é então filtrada e o solvente evaporado por aquecimento.
Muitos óleos existentes no mercado são vendidos como:

Virgens – segunda prensagem da matéria prima
Extra-virgens – primeira prensagem
As únicas exceções são o azeite de oliva, óleo de nogueira (noz), avelã e outros poucos. No caso do azeite, após a segunda prensagem se extrai o óleo que sobrou na polpa através da fervura em banho-maria do material. É importante frisarmos que muitos destes óleos taxados desta forma são propaganda enganosa, pois são extraídos por solventes.

Outros tipos de óleos carreadores para massagens

Existem também os óleos produzidos por maceração onde a erva, flor ou semente é infusa por um determinado período de tempo em um óleo vegetal qualquer (soja, girassol, etc.) até que a matéria prima passe para o óleo solvente todas as suas propriedades terapêuticas. Este processo às vezes é acelerado pela fervura do óleo em banho-maria.

Muitos óleos carreadores são também utilizados na alimentação, como é o caso do girassol, soja, gergelim, etc.

O princípio básico da Ayurveda é que todo óleo vegetal que pode ser usado na alimentação, e é saudável de ser ingerido, também será bom e pode ser usado para massagem do corpo físico.

Para elaborar óleos carreadores também se podem fazer macerações de óleos vegetais com plantas.

Aviso: Este artigo foi escrito apenas para fins educacionais e é baseado na tradição de Ayurveda. Não se destina a tratar, diagnosticar, prescrever ou curar qualquer condição de saúde ou substituir o tratamento ou o conselho médico padrão.

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *